quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

HOSPITAL ERASTO GAERTNER ANUNCIA CONSTRUÇÃO DO PRIMEIRO HOSPITAL ONCOPEDIÁTRICO DO ESTADO

O Hospital Erasto Gaertner anunciou a construção do primeiro Hospital Oncopediátrico do Paraná. Com 3.600 metros quadrados, o novo espaço será exclusivamente dedicado a crianças e adolescentes com câncer, que terão um ambiente moderno e humanizado, especializado no tratamento da doença. O acesso aos melhores profissionais e equipamentos será garantido, sempre focando no tratamento multiprofissional que o câncer demanda.

Uma grande campanha, feita pela agência Guarda(Chuva), será lançada com o objetivo de arrecadar recursos financeiros e doações que auxiliem na construção do novo hospital, com ações ousadas e que incentivam a participação de todos nesse projeto. Isto inclui um show com o cantor Daniel, no dia 18 de Dezembro, no Clube Curitibano. A venda dos ingressos será realizada pelo Disk Ingressos (www.diskingressos.com.br / 41 3315-0808).
Acreditando no modelo de participação da Sociedade Organizada no qual o Hospital Erasto Gaertner está inserido, a Ecoverde Corretora de Seguros, parceira do hospital e apoiadora em projetos, conseguiu novos colaboradores para participarem da campanha, como o Clube Atlético Paranaense, a Fundação Cultural de Curitiba e a produtora Beth Capponi. "Considero muito importante a adesão da sociedade, pois isto demonstra que assumimos nossa cidadania e solidariedade em uma obra que visa o bem comum. É o que realmente nos faz ser participativos com responsabilidade. Fazer parte deste projeto nos traz a alegria de servir”, considera Sandra Zanette, incentivadora da campanha.
 
Atualmente, a Pediatria do Hospital Erasto Gaertner atende crianças e adolescentes de 0 a 18 anos. É um dos setores mais complexos do Hospital, pois acolhe uma faixa etária em que a incidência de câncer não é comum (em torno de 2%), fazendo com que os tratamentos e cuidados gerem custos adicionais ao processo.

A grande maioria (94%) desses pacientes é atendida pelo SUS, que repassa recursos financeiros para remunerar os procedimentos diagnósticos e terapêuticos realizados, porém, com valores aquém das necessidades cotidianas, o que gera um déficit orçamentário mensal crescente. Os investimentos na renovação de tecnologias e na manutenção predial, que são essenciais à qualidade do atendimento, acabam prejudicados. Neste aspecto, é fundamental destacar a importância das parcerias e doações recebidas, que ajudam o Hospital a garantir a qualidade do atendimento prestado.

Estrutura
O pavimento térreo do Hospital Oncopediátrico contará com recepção, Lobby e área de convivência, ambulatório, quimioterapia e acesso à área de radioterapia. Já o primeiro andar terá banco de sangue, recepção e espera da área de radioterapia e acesso ao Espaço Família. O último pavimento contará com Unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO) com cinco leitos, Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com sete leitos e Unidade de Internação com 30 leitos.

Depois do avançado Centro de Diagnóstico por Imagem, o Hospital Oncopediátrico é o segundo projeto a ser executado dentro do Plano Diretor da Liga Paranaense de Combate ao Câncer, que projeta o Erasto Gaertner para os próximos 15 anos, com avanços consideráveis em uma estrutura moderna e diferenciada. Será uma conquista para Curitiba, para o Paraná e, claro, para o Brasil”, afirma Adriano Lago, superintendente do Hospital Erasto Gaertner.

Atualmente, a Pediatria do Hospital está localizada em setor interno do Hospital Erasto Gaertner, sendo necessário o deslocamento das crianças e de seus acompanhantes pelas dependências da instituição, seja na chegada ao hospital ou nos setores para realização de exames e/ou procedimentos.

O setor registrou em 2014, 402 casos novos e atende mensalmente cerca de 500 pacientes, incluindo os retornos. São 20 leitos de internamento, quatro deles localizados na UTI Pediátrica. “No Hospital Oncopediátrico, crianças e adolescentes estarão em espaço idealmente projetado para o universo infantojuvenil, um ambiente que proporcione aconchego e humanização, o que colabora para a adesão ao tratamento”, destaca a médica Mara Albonei Pianovski, coordenadora técnica e chefe do serviço de Pediatria do Hospital Erasto Gaertner.

Nenhum comentário: