segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

JAZZ, SAMBA E CHORO ANIMAM A SEGUNDA NA OFICINA DE MÚSICA


            A 34ª Oficina de Música de Curitiba começa a semana com mais shows em sua programação artística. Nesta segunda-feira (25) as atrações são o Jazz Cigano Quintetoque se apresenta às 12h30, na Capela Santa Maria; o show “No samba”, às 19h, no Teatro do Paiol; e o espetáculo “Noite do Choro”, com clássicos desse gênero musical interpretados por professores da Oficina.
            O quinteto curitibano Jazz Cigano (fotografia) interpreta músicas do seu novo CD, cujo repertório é formado por composições do precursor do jazz manouche, Django Reinhardt, músicas tradicionais ciganas e composições próprias. O grupo é uma das principais referências do jazz manouche no Brasil, estilo criado pelo violonista cigano-belga Django Reinhardt e imortalizado no seu quinteto do Hot Club de France, que ainda contava com o importante violinista francês Stephane Grapelli, na Paris dos anos 30.
A mistura do “sotaque” musical cigano de Django com os ritmos quentes do jazz swing gerou um resultado admirado até hoje ao redor do mundo todo. Existem menções a Django e ao jazz manouche em diversos filmes do consagrado diretor Woody Allen, que é um profundo admirador de Django. Na Europa, gerações após gerações de músicos se dedicam a manter viva a tradição de Django, e no Brasil surgem cada vez mais grupos de jazz manouche.
O Jazz Cigano Quinteto nasceu no final de 2008 com Eduardo Mercuri – que foi aos Estados Unidos estudar na Berklee College of Music. Ele foi substituído por Lucas Miranda (violão). Os demais componentes são Mateus Azevedo (bateria), Vinícius Araújo (violão), Wagner Bennert (contrabaixo) e John Theo (violino).
Hoje o grupo já tem na bagagem seu primeiro CD, que foi gravado de maneira independente, apresentações em importantes eventos, como na Oficina de Música de Curitiba de 2012, e com importantes nomes da música instrumental como Gabrielle Mirabassi, Daniel Migliavacca, Vittor Santos, Itamar Collaço, além de uma série de três apresentações com o violonista Yamandu Costa feitas em outubro de 2013, e, em 2015, no Festival Gastronômico de Tiradentes MG, a convite de Yamandu Costa, e apresentações pelo SESC Santa Catarina, Paraná e São Paulo, no Festival de Jazz Manouche de Piracicaba. Em 2015, gravou seu segundo CD pelo Mecenato Subsidiado da Lei de Incentivo à Cultura de Curitiba.

No Samba - A Cia Ilimitada, que em 2015 esteve na Oficina de Música com o espetáculo Noël, volta com o show cênico musical “No Samba”. O projeto traz obras compostas entre os anos 20 e 40, período conhecido no Brasil como a Época de Ouro.
Referências do rádio, do cinema e das Revistas abrem caminho para que composições de autores como Ary Barroso, Noel Rosa, Dorival Caymmi, Wilson Batista, Assis Valente, Pixinguinha, Lupicínio Rodrigues e Braguinha sejam resgatadas.
O espetáculo, com direção artística de Márcio Juliano (voz) aborda o caráter teatral, performático, interativo e bem-humorado dessa geração de artistas. Também compõem o grupo Gabriel Schwartz (sopros), Daniel Migliavacca (bandolim, cavaquinho e vioão tenor) e Lucas Melo (violão de 7 cordas).
            Encerrando a noite, professores da Oficina de Música sobem ao palco da Reitoria da UFPR para a Noite do Choro, espetáculo já tradicional na programação do festival. 


Serviço: 34ª Oficina de Música de Curitiba
            Jazz Cigano Quinteto
            Local: Capela Santa Maria – R. Conselheiro Laurindo, 273
            Data e horário: 25 de janeiro, às 12h30
            Ingressos: gratuito

            No Samba
            Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº
            Data e horário: 25 de janeiro, às 19h
            Ingressos: R$ 10 e R$ 5

            Noite do Choro       
            Local: Teatro da Reitoria – R. 15 de Novembro, 1299
            Data e horário: 25 de janeiro, às 21h
            Ingressos: R$ 10 e R$ 5.


Nenhum comentário: