terça-feira, 1 de abril de 2014

QUEM TEM MEDO DE VIRGÍNIA WOLFF

Quando li a peça fiquei encantadíssima, é um texto com estrutura dramática perfeita e impecável composição dos personagens”, revela a produtora e atriz Zezé Polessa. “Meu primeiro pensamento nesta leitura foi: ‘esta peça está pronta, só preciso me encaixar neste texto maravilhoso’”. E foi a partir daí que, há três anos, Zezé começou a trabalhar na produção e na formação da equipe.


Uma nova tradução foi feita por seu filho João Polessa Dantas. “Meu filho me ensinou que tradução envelhece. A primeira que li era de 64, quando a peça veio para o Brasil, e a outra era da década de 70, época de censura em que cenas foram cortadas e palavrões eram banidos, então resolvemos traduzir o texto de novo, pois a coloquialidade é um ponto forte dos diálogos, sem perder a linguagem culta do ambiente acadêmico onde a trama se desenvolve”.

Nos textos de Albee nada é o que aparenta. Situações que começam aparentemente reais rapidamente entram na esfera da fantasia. Pela maestria com a qual o Albee constrói seus personagens, o texto, escrito há pouco mais de 50 anos, retrata o contexto dos Estados Unidos na época mostrando o fracasso do “sonho americano” e a tensão existente no país durante na Guerra Fria.

O cenário é a casa de Jorge e Marta, que recebem os jovens Nick e Mel para um drinque após uma festa. São dois casais de diferentes idades, mas com questões em comum. Os anfitriões, casados há mais de 20 anos, vivem uma relação de amor e ódio, na qual um segredo parece unir e, ao mesmo tempo, transformar a vida de ambos em uma grande ilusão. Já os visitantes têm um relacionamento aparentemente perfeito, mas, quando envolvidos nos jogos mentais e sexuais do primeiro casal, deixam transparecer as mentiras que os cercam.

A atriz Ana Kutner participa pela terceira vez do Festival de Teatro de Curitiba e avalia que “o Festival sempre é um lugar de troca de artistas, produtores, se mantendo referência em todo o território nacional. Tenho uma relação bastante afetiva com o Festival de Curitiba, pois tenho vindo há alguns anos”. Em 2013 ela estreou o espetáculo "Horses Hotel” e em 2000 foi a vez de "A boa".

Logo após Curitiba, a montagem segue para temporada em São Paulo.

Serviço: QUEM TEM MEDO DE VIRGÍNIA WOOLF?
Apresentações dia 3 e 4 de Abril às 21 horas no Teatro Guiara. 
Veja a programação completa em www.festivaldecuritiba.com.br

Nenhum comentário: