segunda-feira, 10 de novembro de 2014

COLEÇÃO GAZETA DO POVO - LITERATURA PARANAENSE

Para ficar na cabeceira do paranaense. Pra sempre. 

Maior projeto de valorização da arte literária do Paraná já realizado, o projeto Coleção Gazeta do Povo – Literatura Paranaense reúne seis livros dos principais escritores contemporâneos do estado; a tiragem total será de 420 mil exemplares e vai atingir mais de 2,5 milhões de leitores

De cada um deles, todo paranaense já ouviu ou leu um bocadinho. Mas há boas chances também de encontrar quem não tenha nenhuma referência sobre os principais escritores contemporâneos da nossa terra. Desde o dia 7 de Novembro, a arte literária do Estado inicia um novo capítulo de sua divulgação, afinal, um projeto grandioso e inédito será materializado com a distribuição do primeiro título da Coleção Gazeta do Povo – Literatura Paranaense.

Uma cuidadosa curadoria identificou seis talentos da palavra escrita no Paraná que certamente irão enriquecer as estantes dos leitores com cultura e entretenimento. O escritor Miguel Sanches Neto, que também é poeta, contista, ensaísta, considerado um dos críticos literários mais respeitados no Brasil, é quem abre o projeto com a obra inédita “Linhas Órfãs”. O livro fictício é uma experiência de diálogo nas redes sociais, pequenas ‘tuitadas’ que resultaram em literatura. Fala das relações virtuais e serve para a velocidade dos nossos tempos.

Já na semana seguinte, no dia 14, será a vez dos leitores serem presenteados com “Jornal da guerra contra os Taedos”, livro de Manoel Carlos Karam que ganhou publicação póstuma e agora foi reeditado. A obra do escritor e jornalista apresenta um relato aparentemente factual sobre uma disputa bélica e desmistifica o discurso de guerra, das artimanhas e estratégias com ironia e humor.

Para o dia 21 de Novembro, é aguardada a distribuição de “Pequenices”, do escritor londrinense Domingos Pellegrini, que já foi agraciado duas vezes com o Prêmio Jabuti e é autor de mais de 30 obras entre contos, novelas, crônicas, juvenis e infantis. “Pequenices” reúne, pela primeira vez, essa série de crônicas em um livro, confirmando o talento deste londrinense como um grande contador de histórias e um dos maiores cronistas do Brasil.

“Ensaios e anseios crípticos”, de Paulo Leminski, foi reeditado e poderá ser adquirido pela Coleção no dia 28 de Novembro. O livro traz uma oportunidade de conhecer Leminski como ensaísta, polemista, jogando luz em questões específicas. Embora aborde temas complexos, o autor fala de forma direta, emotiva e pela beleza do texto. Nessa edição, o leitor vai encontrar uma seleção de ensaios organizada pela família de Paulo Leminski.

O conhecimento acadêmico é colocado à prova em “Alegres memórias de um cadáver”, de Roberto Gomes, o quinto livro da Coleção. O escritor e filósofo curitibano ‘faz um cadáver andar pelos corredores de uma universidade’, enquanto discute a realidade brasileira contemporânea, questiona as práticas acadêmicas e a desburocratização do acesso ao conhecimento. Uma obra-prima da literatura brasileira, que já está em sua 6a edição, e mais atual do que nunca,  será distribuída no dia 5 de Dezembro.

A distribuição desta 1a Coleção Gazeta do Povo – Literatura Paranaense finaliza com o título “Infinita sinfonia”, de Helena Kolody, no dia 12 de Dezembro. Imperdível. O título reúne a obra completa da escritora paranaense e inclui cerca de 500 poemas. “Ela deve ser lida não só pela riqueza e requinte de sua poesia, ao mesmo tempo, que é singela e cheia de doçura, mas porque ela também é muito profunda e corajosa. Ler Helena é um ato de resgate de si, um momento de compreensão da própria vida. Neste mundo de barulhos incessantes, ela nos pede um grau de recolhimento. Helena Kolody olha nas dores e na alma do ser humano” explica o curador da Coleção, o também escritor Luiz Andrioli.

De acordo com ele, desde a seleção da primeira lista de autores até a escolha dos seis escritores que compõe a Coleção foi um processo que levou cerca de dois anos e reuniu uma equipe de pensadores e comunicadores que estão envolvidos no projeto. Baseada em critérios artísticos e literários, além de questões burocráticas e legais, a curadoria conseguiu montar ‘uma seleção de autores e obras ideal e possível’ para representar a arte literária contemporânea paranaense.

Uma promoção do jornal Gazeta do Povo e coordenado pela Editora Inventa, este projeto teve sua realização possível por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura do Brasil. Patrocinado pela CAIXA e Instituto Joel Malucelli, o projeto conta com apoio do Grupo Positivo.

Este projeto demonstra a importância do jornal ser o veículo que permite o acesso não somente à informação, mas também à cultura. E para a Gazeta do Povo, em especial, é mais uma ação que tangibiliza a sua missão de promover o desenvolvimento de nossa terra e de nossa gente. Valorizar os nossos escritores, promover o acesso da população às suas obras, é uma ação muito importante para o nosso desenvolvimento. Temos que agradecer as parcerias da CAIXA e do Instituto Joel Malucelli que nos ajudaram a viabilizar este projeto de tão grande alcance cultural”, explica Ana Amélia Filizola, diretora da Unidade Jornais do GRPCOM.

Projeto inédito e grandioso 
Nunca antes foram reunidas grandes obras paranaenses numa única coleção. Nunca a literatura contemporânea do Paraná foi ofertada e disponibilizada, por meio de um projeto, para um público em larga escala. Com uma tiragem de 420 mil exemplares – 70 mil de cada título – a Coleção será distribuída gratuitamente. De acordo com a diretora da Editora Inventa, Taís Mainardes, estima-se que o projeto atingirá diretamente mais de 2,5 milhões de leitores, das mais diversas faixas etárias e classes sociais.

Coube à Editora Inventa o projeto gráfico e diagramação dos livros, enquanto que o estúdio de design D-lab assina as ilustrações dos autores que estampam as capas e a Posigraf é a responsável pela impressão e acabamento dos livros.

O projeto tem como missão maior resgatar, valorizar e promover a arte literária paranaense, encurtando o caminho entre a literatura e o público em geral, aproximando o povo do Paraná da sua identidade cultural”, afirma. “Mais da metade dos exemplares serão distribuídos sem qualquer custo para assinantes e leitores da Gazeta do Povo e os demais livros serão encaminhados para a rede pública e privada de ensino, além de importantes pontos de leitura e espaços culturais como Faróis do Saber, Tubotecas e Casas de Leitura, através das parceiras firmadas com Governo do Estado do Paraná, Secretarias da Educação e Cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe/PR)”, completa.

Além dos 420 mil livros, o projeto vai contar ainda com o Manual do Professor, um volume especial que fornecerá instruções para serem aplicadas em sala de aula. O manual traz indicações bibliográficas dos autores, formas de abordagem dos livros e o contexto de cada título dentro da produção literária paranaense e cenário nacional. O Manual do Professor será distribuído para mais de 90 mil professores das escolas públicas gerenciados pelo Governo do Paraná e às mais de duas mil instituições de ensino particular no Estado, com o objetivo de ser amplamente trabalhado em salas de aula ao longo do ano letivo de 2015.

Cronograma de Distribuição (como encarte do jornal Gazeta do Povo)
07/11 - Linhas órfãs, de Miguel Sanches Neto 
14/11 - Jornal da guerra contra os taedos, de Manoel Carlos Karam 
21/11 - Pequenices, de Domingos Pellegrini
28/11 - Ensaios e anseios crípticos, de Paulo Leminski 
05/12 - Alegres memórias de um cadáver, de Roberto Gomes
12/12 - Infinita sinfonia, de Helena Kolody.

Nenhum comentário: