ROLÉ DA REDE PASSEIA POR PONTOS DO RIO " CAPITAL MUNDIAL DA ARQUITETURA"

 

 

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Estúdio M’Baraká apresentam 

Palácio Capanema: nomes como Lúcio Costa, Oscar Niemeyer e Burle Marx no projeto (reprodução)

 

Rolé na Rede de julho passeia por pontos que fazem do Rio a ‘Capital Mundial da Arquitetura’, título inédito concedido pela UNESCO

 

Roteiro virtual visita construções como o Palácio Capanema, Theatro Municipal e a Central do Brasil, que integram a diversidade urbanística da cidade

 

Julho é mês de caminhar virtualmente com o Rolé Carioca pelas construções e arquitetura do Rio de Janeiro, que lhe renderam em 2019 o título de primeira Capital Mundial da Arquitetura, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Referência por sua diversidade urbanística e por arquitetos e paisagistas mundialmente conhecidos, como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Lúcio Costa, a cidade é o tema do Rolé na Rede de 25 de Julho: “Rio, Capital Mundial da Arquitetura”. O passeio começa às 10h pela plataforma Zoom e com transmissão simultânea pelo Facebook do Rolé Carioca.

 

O título inédito foi anunciado após parceria firmada entre a Unesco e a União Internacional dos Arquitetos (UIA). Com a iniciativa, o Rio de Janeiro foi escolhido  para  sediar o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que acontece este mês. 

 

Pensar nos diferentes tipos de prédios, construções e paisagem urbana do Rio nos ajuda a entender a nossa história. Capital enquanto colônia, durante o império e por boa parte da república, a arquitetura atual da cidade reflete esse histórico de transformações, exibindo exemplares emblemáticos de diversos estilos arquitetônicos. O roteiro pretende resgatar a história da cidade a partir de quatro desses estilos — Colônia/Império, Ecletismo, Art Déco e Modernismo —, e de pontos físicos marcantes e representativos de cada um deles.

 

O Rio de Janeiro tem um rico acervo arquitetônico que nos permite compreender um período da nossa história. A arquitetura reflete nossas transformações e acaba por falar da própria cidade e país. Por isso, nada mais oportuno do que passear por esses lugares que muitas vezes foram palco de fatos históricos e que são valorizados pelo carioca - comenta Isabel de Melo, idealizadora do projeto.

 

Ao longo do trajeto guiado pelos historiadores Roberta Baltar e William Martins, a proposta é voltar ao tempo do Brasil Colônia ao visitar o Mosteiro de São Bento, que levou mais de 100 anos para ser construído (de 1633 a 1798), e o Paço Imperial (1743), palco de alguns dos principais acontecimentos históricos e políticos da corte. Na Cinelândia e seus arredores, os rolezeiros vão encontrar a síntese do ecletismo carioca, com a Biblioteca Nacional (1910), considerada pela Unesco uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e a maior da América Latina, e o Theatro Municipal (1909), que reina absoluto na praça com suas cúpulas e escadarias.

 

As linhas retas, o concreto e a simetria do Art Déco são inconfundíveis no edifício A Noite (1929), marco da arquitetura brasileira e o primeiro arranha-céu da América Latina, e na mundialmente conhecida Central do Brasil (1943). A cidade do Rio de Janeiro é considerada a capital do Art Déco da América Latina, e tem a maior estátua Art Déco do mundo, o Cristo Redentor.

 

Os rolezeiros poderão conhecer as construções modernas, de linhas simples e geométricas de Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Affonso Eduardo Reidy: o Palácio Gustavo Capanema (1043), que tinha Costa, Niemeyer e Burle Marx no projeto; o Sítio Burle Marx, aberto ao público em 1995 e reconhecido como uma das mais importantes coleções de plantas vivas existentes no mundo e o Museu de Arte Moderna (MAM), um projeto de Reidy  e com jardins de Burle Marx.

 

O roteiro integra a programação do nono ano do projeto Rolé Carioca, que já levou mais de 24 mil pessoas pelas ruas do Rio quando era realizado presencialmente e que, desde a pandemia da Covid-19, passou a ser virtual. Roberta Baltar e William Martins esperam você para conversarem sobre a paisagem urbana do Rio e seu rico passado arquitetônico, histórico e cultural.

 

Próximo Rolé na Rede

Rio, Capital Mundial da Arquitetura

Data: 25 de Julho (domingo)

Hora: 10 horas

Participação: O link do Zoom será liberado às 9h50 nos perfis do projeto (Facebook e Instagram)

Duração: aproximadamente 1 hora

Gratuito – Não é necessário fazer inscrição

Site: http://www.rolecarioca.com.br 

Facebook: /RoleCarioca

Instagram: @rolecarioca

YouTube: /RoleCarioca

 

Sobre o Rolé Carioca

O Rolé Carioca é um projeto cultural que pesquisa, cataloga e difunde conteúdo sobre o patrimônio histórico e cultural do Rio de Janeiro. O Rolé, como chamam os mais de 40 mil seguidores do projeto, tem a missão de formar um acervo multiplataformas sobre a história, cultura e memória da cidade, com ações que apresentam esse acervo em diferentes formatos, tais como passeios guiados por mais de 45 roteiros, banco de dados com mais de 400 pontos mapeados, canal de vídeos, site, jogos etc. 

Criado em 2013 a partir de passeios presenciais por diferentes roteiros, contando histórias sobre o Rio e seus personagens, o Rolé Carioca expande sua atuação em 2021 se dedicando a ouvir histórias de moradores e trazer reflexões sobre o espaço urbano por meio de ações como o Mapa de Memórias, o webseminário Papo de Rolé e a mostra de filmes CineCidades - mesclando programação virtual e presencial, adaptada ao momento de pandemia.

O projeto considera as dimensões sociais, culturais e naturais da cidade para construir plataformas práticas de difusão da memória da cidade: uma memória social, histórica e afetiva. Por sua metodologia e resultados, o Rolé Carioca foi um dos vencedores de 2019 do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concedido pelo IPHAN a iniciativas de preservação e difusão do patrimônio histórico e cultural.

 

Sobre o Estúdio M’Barakå (UM-BA-RA-KÁ) – Realizador e idealizador do projeto

Criado há 14 anos por Isabel Seixas e Diogo Rezende, o estúdio M’Baraká desenvolve projetos múltiplos com profissionais de diversos segmentos e se destaca por sua metodologia, que envolve criação, pesquisa, planejamento estratégico e direção de arte. Desde 2013, a economista Larissa Victorio faz parte da sociedade. Os projetos do grupo são únicos, focados na criação de experiências relevantes, que geram conhecimento e valor para seus públicos: www.mbaraka.com.br 

O Rolé Carioca conta com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura, da Estácio e da Operadora Nacional do Sistema Elétrico (ONS), copatrocínio da First RH Group e Shift Gestão de Serviços, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura - Lei do ISS, e apoio da Lecca e do Congresso Mundial de Arquitetura.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CHEGOU O NATAL!