MOMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR: Distribuidores investem na qualidade das próteses cirúrgicas ortopédicas e ganham mercado

MOMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR: Distribuidores investem na qualidade das próteses cirúrgicas ortopédicas e ganham mercado

Mercado é dominado pelos importadores de pequeno porte que atendem demandas cada vez mais crescentes

 

O mercado de próteses cirúrgicas está em plena ascensão devido a dois fatores: tecnologia e público.

Hoje, a tecnologia empregada na produção das próteses que substituirão ossos e tecidos moles está em um nível nunca imaginado.

Segundo o CEO da Ortoart, Arthur Moro, distribuidor exclusivo da Johnson & Johnson no Sul do Brasil com a linha de próteses DePuy Synthes: “São implantes que chegam quase à perfeição, seja em peso, material ou funcionalidade. Era impensável um atleta retornar às competições como Andy Murray, por exemplo”.

O tenista Andy Murray sofreu com uma lesão em seu quadril e foi submetido a uma cirurgia para colocação de implante metálico, voltando às competições de grand slam como o ATP da Austrália, em janeiro de 2022. 


Para Moro os fatores tecnologia e idade favorecem o mercado, pois segundo Luiz Roberto Ramos[1], professor da Escola Paulista de Medicina (UPM) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), teremos mais de 30 milhões de idosos em 2025.

A idade é um fator que leva a problemas ortopédicos, dentre os procedimentos mais procurados estão as artroplastias de joelho e quadril, sendo mais frequente em idosos entre 69 e 75 anos de idade”, explica Moro.

O peso da idade

Com uma população cada vez mais idosa, a solução para problemas ortopédicos acaba sendo maior. “Mas não é uma exclusividade dos idosos, há uma parte da população mais jovem, que hoje, mesmo em razão dos tratamentos existentes, corre mais risco”, ressalta o CEO da Ortoart.

Quando se trata da tecnologia dos implantes, as próteses ortopédicas utilizam cada vez mais materiais altamente duráveis e leves, com a aplicação da nanotecnologia existente levada ao limite.

É uma área da medicina que aproveita bastante a evolução de processos e materiais, garantindo o maior nível de qualidade nas próteses e trazendo mais segurança e qualidade de vida para aqueles que passam por uma intervenção desse tipo”, afirma Moro.

Segundo a ANVISA, dados de 2018, grande parte do mercado de próteses se deve a importadores de pequeno e médio porte.

Hoje, o mercado de importação de próteses por essas empresas corresponde a cerca de 90%, os outros 10% são multinacionais. Temos um mercado extremamente competitivo, mas que pende para aquele que apresenta o melhor material em questão de qualidade e durabilidade para o usuário final”, explica Moro.

Segundo João Carlos Belloti[2] da Universidade Federal de São Paulo-Escola Paulista de Medicina, o sucesso da cirurgia de artroplastia depende de três fatores: qualidade das próteses, ato cirúrgico e as características do paciente.

O processo de fabricação das próteses precisa ter alto grau de qualidade técnica, além de materiais extensamente estudados, facilitando a recuperação dos pacientes e garantindo que o mercado seja abastecido com implantes que agradem médicos e pacientes.

O processo de fabricação é primordial, pois estamos falando de procedimentos altamente invasivos e para a substituição de partes do corpo humano que são de extrema importância para a vida das pessoas, por isso trabalhamos com o maior fabricante do mundo e de grande renome que é a DePuy Synthes, uma empresa da Johnson & Johnson”, esclarece Moro.

A qualidade das próteses também é reconhecida como fator principal na escolha para os professores Gabriel Pereira da Silva Santos e André Pereira Paiva da FATEC[3].

Dispensação gratuita

O Sistema Único de Saúde – SUS dispensa gratuitamente próteses cirúrgicas ortopédicas, sendo um dos maiores clientes dos distribuidores que contam com a qualidade do produto para ser o escolhido.

O preço não deve direcionar a escolha por determinada marca, é óbvio que um implante de qualidade teve um custo alto em seu desenvolvimento, além do material em que a prótese foi confeccionada, mesmo no SUS, a o médico deve optar por qualidade, é isso que vai garantir que o pós (operatório) do paciente seja o melhor possível e não precise de novas intervenções” conclui Moro.

O número de cirurgias ortopédicas atendidas pela Ortoart para colocação de implantes vem subindo a cada ano, em Curitiba por exemplo são mais de 30 por dia.

O mercado de próteses ortopédicas cirúrgicas ainda é um grande campo a ser explorado, tendo como grandes concorrentes pequenas e médias empresas, além de gigantes que ainda têm grande parte do marketshare.

Sobre a Ortoart - A Ortoart é uma empresa de Curitiba, que atua há mais de 15 anos no mercado de próteses ortopédicas e atualmente é a representante exclusiva da DePuy Synthes, marca de próteses da gigante Johnson & Johnson no sul do Brasil.

 [1] Ramos, Luiz Roberto. Brasil terá sexta maior população de idosos no mundo até 2025

[2] Belotti, João Carlos. Cenário atual do uso de próteses ortopédicas – Discussão sobre próteses nacionais versus importadas.

[3] Santos, Gabriel Pereira da Silva e Paiva, André Pereira. Análise swot do mercado de implantes ortopédicos no Brasil: Competitividade do produto nacional

 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CHEGOU O NATAL!