quinta-feira, 9 de julho de 2015

GABRIEL GROSSI ESTREIA SOLO TOCANDO CLÁSSICOS DA MPB

Instrumento conhecido na música popular, no jazz, no blues, na música tradicional de diversos países, a harmônica ou gaita de boca raramente é apresentada em shows solo. Não que faltem solistas para esta tarefa, mas oportunidades para que músicos possam se lançar ao desafio de tocarem sozinhos em um palco. O brasiliense Gabriel Grossi, radicado no Rio de Janeiro, tem este desafio neste mês: pela primeira vez na carreira fará recital solo. A proposta veio com a Série Solo Música e Gabriel faz sua estréia em 14 de Julho, ás 20 horas, na Caixa Cultural de Curitiba.


Um dos mais talentosos instrumentistas de sua geração, Gabriel tem ao longo de sua carreira aberto horizontes para a harmônica, tocando diversos ritmos e gêneros musicais, mas confessa que a proposta solo é um “desafio” a mais em sua carreira. “Ela me colocou em contato com a minha essência enquanto artista”, disse ele, que preparou o solo com uso de recursos eletrônicos, que possibilitem que seu solo soe como se no palco estivessem vários instrumentistas. O repertório escolhido faz jus ao trabalho e a história de Gabriel. Serão clássicos da Música Brasileira, que formaram seu pensamento musical, como “Carinhoso”, de Pixinguinha; “Cravo e Canela”, de Milton Nascimento, “Lamento sertanejo”, de Dominguinhos e “Trenzinhho do Caipira” e “Bacchianas n.5”, de Heitor Villa-Lobos. Gabriel Grossi também tocará composições próprias, como a homenagem que fez a Hermeto Pascoal (“Domingo Pascoal”)

Virtuose
 
     Um dos principais representantes da harmônica no mundo, o brasiliense Gabriel Grossi desenvolve caminhos inusitados para a inserção de seu instrumento no universo da música brasileira. Além de carreira estabelecida dentro e fora do país, é, desde 2005, integrante do Hamilton de Holanda Quinteto, conjunto vencedor do prêmio Tim 2007 e finalista do Grammy Latino por duas vezes consecutivas. Participou de projetos importantes, como turnês com o saudoso clarinetista Paulo Moura, com quem atuou de 2003 até seu falecimento, e das cantoras Zélia Duncan e Beth Carvalho, com as quais gravou CDs e DVDs.
      Seu disco de estréia, “Diz Que Fui Por Aí”, recebeu elogios pela concepção musical, composição e arranjos. O segundo, “Afinidade” (em duo com o  violonista Marco Pereira), e o terceiro, “Arapuca” ( inspirado no universo do forró) também conquistaram crítica e o público, mostrando que é possível aliar a tradição da música instrumental com o gosto popular, levando o nome de Gabriel para reconhecimento nacional. 
      Em 2009, formou seu trio com o pianista Guilherme Ribeiro e o baterista Sergio Machado. Com essa formação gravou “Horizonte”, álbum preparado durante a turnê que realizou com o trombonista Raul de Souza, dentro do projeto Circular BR, e, em 2011, lançou o CD “Zibididi” com o violonista Diego Figueiredo. Já em 2012, Gabriel lançou mais dois trabalhos, CD “Villa Lobos Popular”, em duo com o pianista Amilton Godoy (Zimbo Trio) e o CD “Realejo” com o acordeonista Bebe Kramer. Em 2013 lança “Urbano”, CD com temas atuais e uma proposta moderna dentro do universo da gaita.

       Gabriel Grossi gravou e realizou shows com artistas importantes, entre os quais Hermeto Pascoal, Chico Buarque, Ivan Lins, Leila Pinheiro, João Donato, Dave Matthews, Lenine, Djavan, Milton Nascimento, Dominguinhos, Maria Bethânia, Ney Matogrosso. Guinga e Hamilton de Holanda. Sobre ele, o gaitista Toots Thielemans disse: "Fiquei muito impressionado (...) é um gaitista que toca com enorme facilidade, um músico de grande explosão. Também fiquei admirado com suas composições e seu domínio da linguagem brasileira".


          A apresentação de Gabriel Grossi dentro da Série Solo Música, em 14 de julho, ás 20 horas, tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e é uma realização de Alvaro Collaço Produções. Ingressos a R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) podem ser adquiridos na bilheteria da Caixa Cultural, na Rua Conselheiro Laurindo, 280. Informações pelo fone 2118-5111. 

Nenhum comentário: