sexta-feira, 24 de julho de 2015

LANÇAMENTO DE LIVROS NA CASA VILANOVA ARTIGAS

Amanhã sábado, dia 25 de Julho, às 11 horas, a Casa Vilanova Artigas que fica na Rua da Paz, 479 (junto ao Mercado Municiapaç) será cenário do lançamento dos livros Vilanova Artigas e A mão livre do Vovô. No mesmo endereço e data, o público também poderá conferir sessões contínuas do filme O Arquiteto e a Luz, das 11h às 18h.

Vilanova Artigas - Com autoria de Rosa Artigas e coautoria de Marcos Forti, o livro oferece pistas para a trajetória do arquiteto que lhe dá nome, por meio da publicação de 43 projetos, realizados por ele, incluindo os não executados feitos para o concurso do Plano Piloto de Brasília e a proposta de reurbanização do Vale de Anhangabaú.  A partir de fotografias atuais e antigas, além de desenhos originais feitos pela mão do próprio arquiteto, a obra remonta o percurso de João Batista Vilanova Artigas.

A mão livre do vovô –
Vô, desenha uma girafa!
Vô, agora desenha um avião!
Vô, você sabe desenhar um trator?
Atendendo a esses pedidos, o arquiteto João Batista Vilanova Artigas ia criando um mundo de imagens para seus netos. Passando por máquinas, objetos e animais, ele enfrentava a folha em branco, como sempre fez na vida, criando um universo que associa tecnologia, anatomia e invenção. Com estes desenhos selecionados por Michel Gorski e Sílvia Zatz e organizados em forma de narrativa, A mão livre do vovô (Terceiro Nome, 2015) conduz o leitor a uma viagem que pode não ter fim, repleta de curiosidade e prazer ao desvendar a relação amorosa entre adultos e crianças.

Sobre Vilanova Artigas
Nasceu em Curitiba em 23 de junho de 1915. Mudou-se para São Paulo e se formou arquiteto na Escola Politécnica da USP, em 1937. Foi fundador da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 1948, na qual liderou, mais tarde em 1962, um movimento para a reforma de ensino que influenciou outras faculdades de arquitetura no Brasil.

Foi membro do Partido Comunista e militante de movimentos populares e, por isso, perseguido pela ditadura militar. Foi cassado em 1969 por força do AI-5. Sua obra foi duas vezes premiada internacionalmente (Prêmio Jean Tschumi - 1972 e Prêmio Auguste Perret – 1985, este póstumo.). Sua maneira de projetar segue influenciando arquitetos até hoje e por isso foi reconhecida, por alguns críticos, como uma verdadeira escola, a chamada "Escola Paulista". Dentre os 700 projetos que produziu durante sua carreira, destacam-se: Edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo; o conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado, em Guarulhos; o Estádio do Morumbi; o Edifício Louveira, clubes; sindicatos; edifícios, apartamentos e casas.

O Centenário Artigas é uma parceria cultural do instituto com a família do arquiteto e tem ações patrocinadas pelo Banco Itaú, como o site criado para comemorar a efeméride, o documentário e a edição pela Terceiro Nome dos livros Vilanova Artigas e A mão livre do vovô.

Nenhum comentário: