sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

AS BOAs MEMÓRIAS DO SAMBA


Sambista que é sambista tem sua marca registrada. O pandeiro de estimação, o patuá protetor, uma roupa especial. E como não podia ser diferente, no centenário do samba - tema do Camarote da BOA - uma homenagem aos símbolos que acompanham e contam a história do samba e suas bambas enfeitarão toda uma parede. Martinho da Vila emprestou suas sandálias favoritas. O ícone Monarco, seu típico chapéu. Alcione, a fantasia usada em um desfile de sua escola, a Mangueira. Estas são algumas das lembranças que irão compor a exposição. Da cenografia ao line up, o espaço mais disputado da Sapucaí, promete uma emocionante homenagem aos cem anos do ritmo mais carioca de todos.

Taís Araújo, a dona da roda, a BOA do samba   

Por trás de um bom samba sempre tem uma grande mulher. Desde que o samba é samba são elas que inspiram, acolhem e trazem a força, doçura e malemolência que não pode faltar. 


Para coroar a homenagem aos 100 anos do ritmo mais carioca de todos, a DONA DA RODA de samba do Camarote da BOA, precisava representar a essência do ritmo, ter uma beleza brasileira estonteante e muito samba no pé. Ninguém melhor que Taís Araujo para o papel.

Nenhum comentário: