quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

FRINGE REÚNE MAIS DE 300 ESPETÁCULOS NESTA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE CURITIBA

Como já noticiamos na virada da semana aqui mesmo neste blog. Foi dada a largada para o FESTIVAL DE CURITIBA que chega à sua 25ª Edição que se realizará de Março.

Fringe reúne mais de 300 espetáculos

Das 312 atrações programadas em teatros e espaços públicos durante do Festival de Curitiba, 85 não cobram ingresso

A 18º edição do Fringe traz ao Festival de Curitiba 312 espetáculos com novidades na programação, como a utilização de terminais de ônibus como palco e a inserção de uma mostra internacional. Estão agendados 85 espetáculos sem a cobrança de ingresso, sendo 42 em teatros fechados e 43 apresentações em locais públicos.

Quando estava em sua 7ª edição, o Festival de Curitiba importou a ideia de Edimburgo, na Escócia, de ter um evento paralelo à Mostra e criou o seu próprio Fringe, um espaço aberto, democrático e sem curadoria. Qualquer grupo com 80% dos integrantes com registro profissional ou declaração de matrícula em curso reconhecido pode participar.

Quatro terminais de ônibus da cidade serão palco para 16 espetáculos diferentes. “Esta é uma tendência nos últimos anos: a descentralização de espaços para facilitar o acesso à programação. Há alguns anos utilizamos ruas e praças públicas e agora escolhemos terminais de bairros populosos para levar arte a um maior número de pessoas”, conta Priscila de Morais, coordenadora do Fringe. Os terminais eleitos estão nos bairros Santa Cândida, Santa Felicidade, Pinheirinho e Boqueirão. Cada dia  serão apresentados quatro espetáculos por terminal, nas áreas cobertas, com duração entre 30 e 60 minutos. Os horários escolhidos são: 9h, 12h, 15h e 18h.

Mostras
Como é tradição desde 2007, alguns grupos de teatro selecionam espetáculos autorais e organizam mostras específicas. Neste ano, o Fringe recebe, pela primeira vez, uma mostra internacional, o Novo Teatro Português. Com curadoria de Hugo Cruz, a seleção revela novas tendências da criação artística contemporânea em Portugal. A partir da apresentação do espetáculo “Sal”, do Teatro do Frio, e de debates, a programação vai proporcionar o contato com projetos de novos artistas portugueses.

O Teatro Popular de Comédia (TCP) e existe em Ribeirão Preto (SP) há mais de 30 anos. A Mostra TPC Ribeirão Preto traz ao Fringe atividades formativas: quatro espetáculos (dois infantis e dois adultos) e oficinas. A proposta do  grupo TPC é possibilitar a troca cultural e compartilhar os métodos próprios de trabalho e pesquisa.

A programação da Mostra Pernambucana de Teatro para Infância e Juventude traz, pelo segundo ano consecutivo, espetáculos, palestras e rodas de conversas sobre a produção teatral voltada aos públicos infantil e juvenil. A realização é uma parceria entre o Grupo Longânime e o Núcleo de Pesquisa de Teatro para a Infância de Recife.

A Mostra Afluente Solimões baseia-se no conceito de Economia Colaborativa. É formada por cinco espetáculos, quatro oficinas e performances intituladas "desprogramadas". A seleção é feita pelo espaço Solimões 541, de Curitiba, que se propõe a viver e desenvolver projetos baseados na autonomia do indivíduo em um ambiente coletivo.

A Mostra de cenas Autorias e Independentes foi criada em 2014 no Rio de Janeiro com a proposta é fomentar a cena independente fluminense e incentivar dramaturgos a "tirarem o texto da gaveta". Em Curitiba, o certame contará também com nove atrações autorais locais, promovendo intercâmbio entre novos dramaturgos do Rio de Janeiro e Curitiba. Toda a programação é gratuita.

Estudantes do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná integram a Mostra Universitária, ocupando o mesmo espaço de apresentação em horários diversos. A intenção é promover interação de estudos, pesquisas e produções de alunos de artes cênicas. Toda a programação do Fitu, o Festival Integrado de Teatro da UniRio, é gratuita. O projeto de extensão da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro apresenta seis espetáculos e seis cenas curtas especialmente selecionados para o Fringe. O objetivo do grupo é permitir a aproximação entre artistas e fomentar o debate sobre diferenças culturais e de criação.

Pela segunda vez no Fringe, neste ano o Grutun! Grupo de Teatro da UniBrasil Centro Universitário apresenta sete espetáculos. A seleção conta também com a produção de grupos de outras universidades do Paraná. A ideia é agregar artistas de instituições diversas para fortalecer a produção teatral de faculdades e universidades do País.

Com espetáculos desenvolvidos no curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM-RS), a Mostra UFSM propõe a descentralização dos processos de pesquisa, ensino e extensão em Artes Cênicas. Os trabalhos que serão apresentados foram produzidos entre 2013 e 2015 por alunos de bacharelado em Interpretação, Direção e Licenciatura.

Internacionais
Além dos portugueses, alemães, franceses e argentinos trazem sua arte para o Fringe nesta edição. O grupo francês Cie à Tiroirs  apresenta Ce n’ est pas commode, a história de Béron, um clown que chega com a sua cômoda cheia de surpresas. Como por magia, as gavetas se empilham e se animam, construindo cenários em que objetos vão se transformar em personagens cativantes.

Os argentinos do grupo Maurangas encenam El gran Wolysnki, que tem tudo para se tornar uma festa com a participação do público. O espetáculo tem rotinas de malabares, equilíbrios com objetos estranhos, domador de animais robóticos, minibicicleta atravessando um aro de fogo, e teclado humano de buzinas. Também da Argentina, Las Tetas Cia. de Teatro apresenta Hermanas son las tetas, que retrata um ano na vida de duas irmãs. De crianças, foram meninas prodígio. Hoje, são obrigadas a conviver, dependendo uma da outra, e têm confrontos ideológicos .

A turma alemã do grupo Mellodrama inspirou-se na vida e obra do pintor Jean-Michel Basquiat para montar Jean, espetáculo que apresenta episódios do universo escolar, de racismo, sobre o contato com as drogas e a rebeldia traduzida em música e grafite e, já adulto, sobre o reconhecimento como pintor, sua relação com a fama e a solidão.

Fringe em números
18º edição
312 espetáculos
2458 participantes
85 espetáculos gratuitos (sendo 42 em teatros e 43 na rua)
13 eventos especiais (oficinas, palestras, etc)
8 Mostras Especiais (uma é internacional)
48 espaços de apresentação: 33 teatros e espaços alternativos, 11 praças do centro e 4 Terminais de Ônibus
5 espetáculos internacionais: originários de Portugal, Alemanha, França e Argentina






Nenhum comentário: