segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

BALÉ TEATRO GUAÍRA ENCERRA TEMPORADA COM CARMEN

 Coreografia criada por Luiz Fernando Bongiovanni para o BTG dialoga com a tradição da obra musical e acontecimentos atuais do universo feminino

O Balé Teatro Guaíra apresenta de 15 a 18 de Dezembro, no auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão), a montagem contemporânea de Carmen, com coreografia de Luiz Fernando Bongiovanni.
Neste terceiro trabalho com o BTG (os anteriores foram Caixa de Cores, em 2005, e Romeu e Julieta, em 2008), Bongionvanni mergulha no contexto forte e dramático de Carmen, uma das obras mais conhecida e montada, tanto para óperas como balés.
O cuidado do coreógrafo para esta versão começou meses antes de ele pisar na sala de aula do Balé Teatro Guaíra. Na pesquisa feita, Bongiovanni encontrou, entre tantas representações, a que foi realizada pelo Bolshoi em 1967. Nesta obra, encomendada por Maya Plisetskaya, com coreografia de Alberto Alonso, a música foi composta por Rodion Shchedrin, marido de Maya, que se coloca como um “parceiro” de Bizet. A trilha usada para a montagem do Guaíra é a mesma produzida por Shchedrin. 



Gosto das histórias que os balés tradicionais contam, são arquetípicas que pertencem ao inconsciente coletivo. Para esta montagem, a ópera de Bizet e a obra literária do escritor francês Prosper Mérimée foram as grandes fontes de inspiração em termos de dramaturgia pré-existente. Somado a isto, está a descoberta do trabalho de Shchedrin. Então esta é a Carmen do BTG, que enfatiza a independência e a força feminina, num momento no qual a violência contra a mulher cresce assustadoramente. É a minha reverência e respeito às mulheres”, disse.

O processo de montagem de Carmen teve participação dos bailarinos que tiveram, por exemplo, como tarefa muita pesquisa sobre a obra e as várias formas como a mesma já foi apresentada. “São excelentes artistas, dedicados e interessados às propostas, com uma dedicação profunda a este trabalho. Tive a possibilidade, nesta terceira obra com o BTG, de trabalhar com muita ênfase em dispositivos de improvisação e composição”, afirma Bongiovanni. Os bailarinos tiveram também aulas de flamenco com Carmen Romero e, diariamente, recebem orientação do diretor teatral Edson Bueno. Também estão na produção da montagem Beto Bruel (iluminação), Paulo Vinícios (figurino) e Gelson Amaral (cenário).

Sentimentos – Carmen mostra paixão, ciúme e vingança. Da sedução ao trágico está o destino infeliz dos protagonistas da história e os reflexos no mundo contemporâneo.
Considero que é o momento adequado para revisitar o tema e, quem sabe, aumentar a conscientização do problema da violência contra a mulher. De modo geral, tanto para homens quanto para mulheres, faz parte da vida aprender a lidar com o mundo quando ele não se dobra aos nossos desejos. E Carmen é uma ótima oportunidade para se trazer o assunto à discussão. É uma história a respeito de como se lida com as frustrações, na qual a exuberância é castrada e isto me incomoda, D. José é um personagem que não consegue virar a página, é imaturo neste sentido”.

Perfil - O Balé Teatro Guaíra tem um papel importante na carreira profissional de Bongiovanni. “É um dos mais importantes grupos do país e no meu histórico pessoal há um espaço especial para o Guaíra porque foi aqui que realizei um dos primeiros trabalhos como coreógrafo quando voltei ao Brasil”, afirma.
Luiz Fernando Bongiovanni é professor do MBA em Dança da Faculdade Inspirar. Diretor e coreógrafo no Núcleo Mercearia de Idéias, grupo de pesquisa em artes cênicas contemplado com editais estaduais e municipais. Atualmente desenvolve Mestrado na UNICAMP na área de pedagogias da dança.

Como bailarino dançou Giselle, A Bela Adormecida e Lago dos Cisnes de Mats Ek e atuou no Cullberg Ballet (Estocolmo, Suécia), Göteborgs Operan Ballet (Gotemburgo, Suécia), Scapino Ballet Rotterdam (Holanda), Zürcher Ballett (Zurique, Suíça) e Balé da Cidade de São Paulo.
Desde que voltou ao Brasil em 2004, trabalhou na coordenação de projetos culturais e na condução de Oficinas de Improvisação e Composição com entidades diversas e em companhias nas quais fez trabalhos coreográficos, incluindo o Balé da Cidade de São Paulo do Teatro Municipal, a São Paulo Companhia de Dança – companhia oficial do Estado de São Paulo, o Balé do Teatro Guaíra, o Balé do Teatro Castro Alves, Balé da Cidade de Niterói, a Cia Jovem do Bolshoi Brasil, Balé Jovem do Teatro Municipal de São Paulo e o Ballett Hagen e Ballet im Revier, ambos na Alemanha.
Trabalhou como bailarino, coreógrafo, professor e assistente no Balé da Cidade de São Paulo. Foi também Diretor Assistente do Balé da Cidade de São Paulo. Nessa posição auxiliou na curadoria, gestão de projetos e gestão pessoal, desenvolvimento do programa didático que o Balé desenvolveu junto aos CEUs, além da coordenação na produção dos trabalhos do BCSP desde essa data junto ao Teatro Municipal e Secretaria Municipal de Cultura.
Coordenou Residência Coreográfica na Oficina Cultural Oswald de Andrade, realizou Oficinas de Improvisação e Composição no Centro Cultural São Paulo, na Escola Municipal de Bailado, Centro Cultural da Juventude, Funarte e em Festivais de Dança pelo país.
Recebeu o prêmio “Braços e Pernas pela Cidade” do Centro Cultural São Paulo, com o solo Na Bagagem. Ministrou o curso de extensão da Universidade Anhembi-Morumbi no primeiro semestre de 2006.
Foi selecionado para desenvolver o projeto do Artista Residente na UNICAMP durante o segundo semestre de 2006, ministrando aulas para graduação e pós do curso de Dança e de Teatro, dando palestras e apresentando trabalho de conclusão com alunos da graduação de dança. Em 2011 voltou a colaborar com a Universidade, selecionado no edital de professor especialista convidado onde trabalhou com todos os anos da graduação nas áreas de Improvisação e Composição Coreográfica.
Trabalhou como coreógrafo nas montagens das Óperas L'enfant et les Sortiléges, Ariadne em Naxos, Sansão e Dalila e Ça Ira.
Ganhou o Prêmio Denilto Gomes de Melhor Espetáculo em 2016 com o trabalho Breve Compêndio para Pequenas Felicidades e Satisfações Diminutas.

CARMEN
Ficha técnica
Concepção, Coreografia e Direção: Luiz Fernando Bongiovanni
Co-direção: Edson Bueno
Música: Georges Bizet/ Rodion Shchedrin / Ärvo Pärt
Iluminação: Beto Bruel
Figurino: Paulo Vinícios
Cenário: Gelson Amaral
Assistente de coreografia e ensaiadora: Márcia de Castro
Ensaiadora: Rosi Viol 
Consultoria de Dança Flamenca: Carmen Romero
Elenco:
Carmen: Malki Pinsag/Deborah Chibiaque
Don Jose: Rodrigo Castelo Branco/Andre Neri
Micaela: Patrícia Machado/ Danyla Bezerra
Toureiro: Fábio Valladão/ Patrich Lorenzetti
Bailarinos: Andre Neri, Ane Adade, Cesar Nunes, Daniel Siqueira, Danyla Bezerra, Deborah Chibiaque, Fábio Valladão, Juliana Rodrigues, Karin Chaves, Leandro Vieira, Luciana Voloxki, Malki Pinsag, Marcela Pinho, Natanael Nogueira, Nayara Santos, Nelson Mello, Patrich Lorenzetti, Patricia Machado, Raphael Ribeiro, Reinaldo Pereira, Rene Sato e Rodrigo Castelo Branco.
Fotos Cayo Vieira

Serviço: Carmen com Balé Teatro Guaíra
De 15 a 17 de Dezembro, às 20h30
Dia 18 de Dezembro, às 18h
Ingresso: R$20,00 (50% nos casos previstos em lei e 50% para Clube Gazeta do Povo. Descontos não cumulativos)
Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão)
Praça Santos Andrade, s/n - Curitiba - PR 

Nenhum comentário: