APÓS ESTREIA EMOCIONANTE, NEM MARAVILHAS NEM ESPELHOS - APENAS ALICE TEM MAIS 3 SESSÕES

Foram duas noites que marcaram o público curitibano. O espetáculo teatral independente emocionou e proporcionou uma verdadeira troca de experiências entre o elenco e plateia
Fotografia: Giulia Ferreira.
Na última semana, os curitibanos assistiram às estreias de Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice, que aconteceram no Auditório Brasílio Itiberê - SEEC e no Teatro Rodrigo D´Oliveira. Com o desafio de apresentar o espetáculo em dois locais com estruturas diferentes (e em dias consecutivos), o Multipersonas Coletivo Teatral contou com a colaboração de outros artistas, como João Mauro Cruz e Rodrigo D´Oliveira para concluir sua montagem.
Foram duas noites de muita emoção e que também proporcionaram troca de experiências entre o elenco e o público. Maria do Rocio de Pinho Teixeira conta a surpresa que sentiu ao ver o espetáculo: “Amei a profundidade da mensagem passada pela peça... principalmente, a indiferença pelas doenças mentais, que para mim são piores do que o câncer. Até porque elas arrasam também com o emocional dos doentes. Foi uma peça forte, perfeita e profunda!”.
A temporada de estreia do espetáculo é composta por cinco apresentações. As próximas sessões acontecerão nos dias 25 de Maio e 1º de Junho, no Auditório Brasílio Itiberê, às 20h, e no dia 26 de Junho, no Teatro Rodrigo D´Oliveira, às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos nos locais por R$20 ou R$40.
Paulo Gomes conta porque se identificou com alguns dos temas abordados na peça: “O tema é bem relevante, a mensagem é forte e a galera mandou muito bem! Eu sou o ‘ansioso’, o ‘depressivo’ da galera... Frequentemente a galera fala ‘Ah, para de frescura…’ ou ‘Ah, nem vamos chamar o Paulo, ele tá muito chato…’. A peça mostra que vale a pena você mandar um ‘Cara, você tá chato... Chega aí e vamos desficar chato’. Eu realmente gostei da peça!".
O poder da mensagem e da narrativa
Um dos retornos que o Multipersonas Coletivo Teatral teve do público também diz respeito a narrativa, como descreve Miguel Ângelo Moutinho Neto: “Fiquei atônito com a chocante narrativa de ‘Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice’ ao tratar das doenças psiquiátricas de uma maneira muito diferente e intrigante. Criatividade é a marca deste enredo porque contou com apartes de cada ator”. Miguel foi uma das pessoas que prestigiou a estreia no dia 18/5, data que também enfatizou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
Legenda: Mariane Rocha como Alice, Vivi Padilha como mãe, Jorge Augusto Costenario como pai e Julia Charlee como Ana.  
Flávia de Mattos Keller veio de São José dos Campos/SP para prestigiar o espetáculo. Para ela, a montagem levantou diversos questionamentos: “Abuso, doenças mentais, uso desenfreado de medicamentos, drogas... Reagimos ou simplesmente fechamos os olhos para as pessoas que sofrem destes males e que estão ao nosso redor? Essas e outras questões são colocadas para nós, platéia, de forma muito sincera e honesta nesta peça que surpreende trazendo a tona sentimentos que nos levam a uma pontual e necessária auto reflexão. Um grupo de atores dedicados e comprometidos! Adorei a peça e indico a todos os amantes do teatro!”.
SINOPSE: Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice é uma montagem inédita e autoral. Um texto novo, mas que fala de uma questão muito antiga e que sempre esteve presente na história da humanidade: o abuso.
Nesta peça, utilizamos alguns dos vários estudos sobre as obras do escritor Lewis Carrol para contar a história de Alice de forma inusitada. Não falamos do País das Maravilhas e tão pouco do que há do outro lado do espelho. O projeto Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice mostra como as drogas e os tratamentos que deveriam curar a humanidade, na verdade corromperam a mente dos pacientes e também daqueles que deveriam zelar por eles. A história acontece em um ambiente muito mais estranho e doentio do que os mundos pelos quais a menina já “viajou”. Abandonada pelos pais por ser considerada uma vergonha, devido a sua esquizofrenia, Alice vive agora em um lugar sem cor, onde tudo é branco exceto pelas manchas de sangue deixadas por seus habitantes.
Nessa montagem, exploramos o ambiente dos antigos hospícios – hoje extintos na maior parte do mundo – para contar a história desses personagens, que oscilam entre realidade, sonho e loucura.
O espetáculo tem apoio de: Secretaria de Estado da Cultura - SEEC, ACCIO Comunicação Estratégica, Camila Borba Fotografia, Colégio Integral, KLOSS Áudio, Studio Santa, Almofofíssimas - Amor em paninhos e Relojoaria Neves.
APRESENTAÇÕES
Dias 25 de maio e 1 de junho | Auditório Brasílio Itiberê - SEEC 
Horário: 20h
Rua Cruz Machado, 138, Centro, Curitiba/PR
Mais informações: (41) 99234-8071

Dia 26 de maio | Teatro Rodrigo D´Oliveira
Horário: 19h
Rua Trajano Reis, 41, Centro Histórico - Largo da Ordem, Curitiba/PR
Mais informações: (41) 3223-2205 / 99933-3205.

Ingressos: R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada)
VENDA NAS BILHETERIAS DOS DOIS LOCAIS

Facebook: @nemaravilhas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SHOPPING PALLADIUM INICIA CAMPANHA DE DIA DAS CRIANÇAS COM BRINDE EXCLUSIVO

YOUTUBER REZENDEEVIL LANÇA LIVRO EM CURITIBA

MASTER VENCE PROFISSIONAIS DO ANO NA CATEGORIA CAMPANHA REGIÃO SUL