terça-feira, 22 de maio de 2018

APÓS ESTREIA EMOCIONANTE, NEM MARAVILHAS NEM ESPELHOS - APENAS ALICE TEM MAIS 3 SESSÕES

Foram duas noites que marcaram o público curitibano. O espetáculo teatral independente emocionou e proporcionou uma verdadeira troca de experiências entre o elenco e plateia
Fotografia: Giulia Ferreira.
Na última semana, os curitibanos assistiram às estreias de Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice, que aconteceram no Auditório Brasílio Itiberê - SEEC e no Teatro Rodrigo D´Oliveira. Com o desafio de apresentar o espetáculo em dois locais com estruturas diferentes (e em dias consecutivos), o Multipersonas Coletivo Teatral contou com a colaboração de outros artistas, como João Mauro Cruz e Rodrigo D´Oliveira para concluir sua montagem.
Foram duas noites de muita emoção e que também proporcionaram troca de experiências entre o elenco e o público. Maria do Rocio de Pinho Teixeira conta a surpresa que sentiu ao ver o espetáculo: “Amei a profundidade da mensagem passada pela peça... principalmente, a indiferença pelas doenças mentais, que para mim são piores do que o câncer. Até porque elas arrasam também com o emocional dos doentes. Foi uma peça forte, perfeita e profunda!”.
A temporada de estreia do espetáculo é composta por cinco apresentações. As próximas sessões acontecerão nos dias 25 de Maio e 1º de Junho, no Auditório Brasílio Itiberê, às 20h, e no dia 26 de Junho, no Teatro Rodrigo D´Oliveira, às 19h. Os ingressos podem ser adquiridos nos locais por R$20 ou R$40.
Paulo Gomes conta porque se identificou com alguns dos temas abordados na peça: “O tema é bem relevante, a mensagem é forte e a galera mandou muito bem! Eu sou o ‘ansioso’, o ‘depressivo’ da galera... Frequentemente a galera fala ‘Ah, para de frescura…’ ou ‘Ah, nem vamos chamar o Paulo, ele tá muito chato…’. A peça mostra que vale a pena você mandar um ‘Cara, você tá chato... Chega aí e vamos desficar chato’. Eu realmente gostei da peça!".
O poder da mensagem e da narrativa
Um dos retornos que o Multipersonas Coletivo Teatral teve do público também diz respeito a narrativa, como descreve Miguel Ângelo Moutinho Neto: “Fiquei atônito com a chocante narrativa de ‘Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice’ ao tratar das doenças psiquiátricas de uma maneira muito diferente e intrigante. Criatividade é a marca deste enredo porque contou com apartes de cada ator”. Miguel foi uma das pessoas que prestigiou a estreia no dia 18/5, data que também enfatizou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
Legenda: Mariane Rocha como Alice, Vivi Padilha como mãe, Jorge Augusto Costenario como pai e Julia Charlee como Ana.  
Flávia de Mattos Keller veio de São José dos Campos/SP para prestigiar o espetáculo. Para ela, a montagem levantou diversos questionamentos: “Abuso, doenças mentais, uso desenfreado de medicamentos, drogas... Reagimos ou simplesmente fechamos os olhos para as pessoas que sofrem destes males e que estão ao nosso redor? Essas e outras questões são colocadas para nós, platéia, de forma muito sincera e honesta nesta peça que surpreende trazendo a tona sentimentos que nos levam a uma pontual e necessária auto reflexão. Um grupo de atores dedicados e comprometidos! Adorei a peça e indico a todos os amantes do teatro!”.
SINOPSE: Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice é uma montagem inédita e autoral. Um texto novo, mas que fala de uma questão muito antiga e que sempre esteve presente na história da humanidade: o abuso.
Nesta peça, utilizamos alguns dos vários estudos sobre as obras do escritor Lewis Carrol para contar a história de Alice de forma inusitada. Não falamos do País das Maravilhas e tão pouco do que há do outro lado do espelho. O projeto Nem Maravilhas Nem Espelhos - Apenas Alice mostra como as drogas e os tratamentos que deveriam curar a humanidade, na verdade corromperam a mente dos pacientes e também daqueles que deveriam zelar por eles. A história acontece em um ambiente muito mais estranho e doentio do que os mundos pelos quais a menina já “viajou”. Abandonada pelos pais por ser considerada uma vergonha, devido a sua esquizofrenia, Alice vive agora em um lugar sem cor, onde tudo é branco exceto pelas manchas de sangue deixadas por seus habitantes.
Nessa montagem, exploramos o ambiente dos antigos hospícios – hoje extintos na maior parte do mundo – para contar a história desses personagens, que oscilam entre realidade, sonho e loucura.
O espetáculo tem apoio de: Secretaria de Estado da Cultura - SEEC, ACCIO Comunicação Estratégica, Camila Borba Fotografia, Colégio Integral, KLOSS Áudio, Studio Santa, Almofofíssimas - Amor em paninhos e Relojoaria Neves.
APRESENTAÇÕES
Dias 25 de maio e 1 de junho | Auditório Brasílio Itiberê - SEEC 
Horário: 20h
Rua Cruz Machado, 138, Centro, Curitiba/PR
Mais informações: (41) 99234-8071

Dia 26 de maio | Teatro Rodrigo D´Oliveira
Horário: 19h
Rua Trajano Reis, 41, Centro Histórico - Largo da Ordem, Curitiba/PR
Mais informações: (41) 3223-2205 / 99933-3205.

Ingressos: R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada)
VENDA NAS BILHETERIAS DOS DOIS LOCAIS

Facebook: @nemaravilhas

Nenhum comentário: