SALÃO CURITIBANO DE ARTES VISUAIS ABRE INSCRIÇÕES PARA SUA 25ª EDIÇÃO


O Clube Curitibano realizou, nesta quinta-feira (dia 24), o lançamento oficial da 25ª edição do Salão Curitibano de Artes Visuais, com a abertura das inscrições para a participação de artistas de todo o Brasil. A tradicional mostra que incentiva a cultura brasileira será realizado na sede do Clube, entre 9 de Outubro e 11 de Novembro.

O período de inscrição de trabalhos segue até 6 de Julho e cada artista participante deverá, obrigatoriamente, apresentar três obras originais e de autoria própria nas categorias desenho, pintura, gravura, colagem, técnica mista, escultura, fotografia, instalação e multimídia. O regulamento com todas as normas e orientações pode ser acessado no Portal do Clube (www.clubecuritibano.com.br).

A seleção das obras que participarão do Salão está prevista para os dias 24, 25 e 26 de Julho. A comissão de análise concederá três prêmios: Prêmio Domício Pedroso, no valor de R$ 10 mil; Prêmio Guido Viaro, de R$ 6 mil; e Prêmio Adalice Araújo, de R$ 4 mil. Também serão indicadas três menções honrosas destinadas exclusivamente a associados do Clube Curitibano, nos valores de R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil.  

Rettamozzo e a intervenção “Polakisses”. Foto: Cintya Hein.
O Salão de Artes Visuais é uma tradição do Clube Curitibano e é um evento muito importante por fomentar a arte que nos representa, que registra a cultura de um povo. Estamos com uma grande expectativa de receber excelentes obras que possam surpreender a todos”, destacou, no coquetel de lançamento, o diretor de cultura do Clube Curitibano, Roberto Amaral da Cunha.

O evento contou com a participação do artista multimídia paranaense Luiz Rettamozo, que realizou uma intervenção que homenageou o pintor norte-americano Jackson Pollock, os poetas curitibanos Paulo Leminski e Thadeu Wojciechowski, e o músico curitibano Pollaco Oliva - “Esse trabalho se chama Polakisses, beijos para os polacos que amo nas artes”, revelou.

Rettamozo comentou a importância da realização do Salão Curitibano de Artes Visuais. “Todo salão de artes é relevante, pois torna-se uma oportunidade para mudarmos os paradigmas da arte. Agora, está na hora de descobrirmos o que vem depois da arte  contemporânea, derrubar esse paradigma. Precisamos fazer algo diferente, uma arte hipercontemporânea, e-contemporânea. As pessoas estão textualizando a arte, mas ela é de verdade, existe. Há muito preconceito, mas a arte é ‘sempre conceito”, afirmou.

Criado em 1989, o Salão Curitibano de Artes Visuais tornou-se bienal a partir de sua 20ª edição, em 2008. A 25ª edição da mostra tem curadoria de Tânia Zaruch e é viabilizada por meio da Lei Rouanet (Lei de Incentivo à Cultura), com patrocínio das empresas Cataratas do Iguaçu e Caminhos do Paraná.  

Legenda: Renato Augusto Carneiro Junior, diretor do Museu Paranaense, Tânia Zaruch, curadora do Salão Curitibano, Constantino Batista Viaro, ex-presidente do Clube Curitibano, Terezinha Pereira Abagge, 2ª vice-presidente do Clube, e Roberto Amaral da Cunha, diretor de cultura do Clube. Foto: Cintya Hein.  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

YOUTUBER REZENDEEVIL LANÇA LIVRO EM CURITIBA

SHOPPING PALLADIUM INICIA CAMPANHA DE DIA DAS CRIANÇAS COM BRINDE EXCLUSIVO

MASTER VENCE PROFISSIONAIS DO ANO NA CATEGORIA CAMPANHA REGIÃO SUL